Nove documentários musicais que já foram destaque no In-Edit Brasil e agora estão na Netflix.

In NEWS by NEWS BRASIL0 Comments

Depois de 11 edições, o In-Edit Brasil já apresentou centenas de filmes para o público brasileiro. Aqui fazemos uma lista de alguns títulos que estão disponíveis atualmente na famosa plataforma e que você pode conferir. Fique em casa e se proteja do contágio do novo coronavírus para que todos possamos sair dessa situação.

O barato de Iacanga
Diretor: Thiago Mattar
Brazil / 93 min. / 2019
Em plena ditadura militar, o Brasil teve um Woodstock para chamar de seu.
O ano era 1975 e o jovem Antônio Cecchin Jr, o Leivinha, resolveu organizar um festival na fazenda de sua família, em Iacanga (SP). Na primeira edição nomes como Os Mutantes, Som Nosso de Cada Dia e Jorge Mautner fizeram a festa. Com um hiato de seis anos, o denominado Festival de Águas Claras foi retomado e reuniu grandes nomes da música brasileira, em três mais edições.
O filme, dirigido por Thiago Mattar, nos traz esta aventura um tanto quanto perigosa: lidar com milico sempre envolve algum risco. Com muitos depoimentos e imagens de arquivo, temos um belo retrato de uma história de ativismo político. O filme foi o vencedor do In-Edit Brasil 2019.

Whitney – Can I be me?
Diretor: Nick Broomfield, Rudi Dolezal / 90 min. / 2016
Whitney Houston foi um fenômeno nunca antes visto. Dona de uma voz inconfundível e poderosíssima, ela reinou durante anos nas rádios do mundo inteiro e fez a alegria da indústria musical.
Mas sua história passa longe de ser um conto de fadas. Prisioneira do próprio sucesso, nunca conseguiu a liberdade para fazer a música que queria e passou a vida atendendo as exigências de seu entorno.
O filme reúne imagens nunca vistas, que nos revelam um mundo cheio de dúvidas e conflitos. Família, religião, drogas, sexualidade, baixa escolaridade e um matrimônio conturbado acabam criando um ambiente confuso na vida dessa grande personalidade do showbiz.

Miles Davis – The birth of cool
Diretor: Stanley Nelson / 115 min. / 2018
Miles Davis é um grande nome da música do século XX.
Foi quem mudou os rumos do jazz inúmeras vezes, revelou nomes importantíssimos na história da música – como John Coltrane, Ron Carter, Herbie Hancock, Wayne Shorter, Art Blakey e Chick Corea – levou o jazz às massas na Ilha Wright e foi o porta-voz de diferentes gerações.
Em resumo, Miles é simplesmente um divisor de águas. De muitas águas. Neste documentário vemos os grandes momentos – e também os baixos – de sua trajetória.

I called him Morgan
Diretor: Kasper Collin / 92 min. / 2016
No dia 19 de fevereiro de 1972, o trompetista Lee Morgan foi assassinado aos 33 anos por sua esposa em um clube de jazz onde tocava em Nova York.
Para reconstruir o crime, o diretor sueco Kasper Collin conta a história do músico e das circunstâncias de sua morte. Por um lado a pouco afortunada vida da Senhora Morgan reconstruída a partir de una enigmática fita gravada por um DJ radiofónico; por outro, a lendária vida do músico que entrou para a banda de Dizzy Gillespie aos 16 anos, integrou os The Jazz Messengers de Art Blakey e ajudou a moldar o som da Blue Note.

Reincarnated
Diretor: Andy Cooper / 96 min. / 2012
Em 2012, o controverso rapper americano Snoop Dogg foi à Jamaica para gravar “Reincarnated”, seu primeiro álbum de reggae. Além do CD, a viagem à ilha rendeu este documentário homônimo. A obra o acompanha pela terra de Bob Marley, onde muda o nome para Snoop Lion, entra em contato com a cultura rastafári e com o povo jamaicano.

Com a palavra, Arnaldo Antunes
Diretor: Marcelo Machado / 80 min. / 2018
O diretor Marcelo Machado fez uma série de entrevistas a Arnaldo Antunes, um dos criadores mais celebrados da música brasileira.
O resultado é um retrato íntimo em primeira pessoa. Já estreado em circuitos comerciais, o filme participa do Festival com uma sessão especial seguida de um bate-papo com o cineasta e o músico.

Chasing Trane: The John Coltrane Documentary
Diretor: John Scheinfeld /99 min. / 2016
John Coltrane é um dos músicos mais relevantes da história do jazz. Visionário e grande instrumentista, Trane ganhou fama no grupo de Miles Davis e voou solitário para expandir os limites do gênero.
Utilizando fotos e vídeos da época, o diretor John Scheinfeld evoca a parte mais humana do músico. Sua família, seus primeiros passos na música, as drogas, os amores, a espiritualidade e seu entorno mais próximo. E logicamente, a música. Muita música.
Na voz de Denzel Washington, ouvimos a Coltrane (que era tímido e não dava entrevistas gravadas) falar de sua vida e seu trabalho. Um tributo e tanto.

Sepultura – Endurance
Diretor: Otavio Juliano / 103 min. / 2017
A banda Sepultura é sem dúvida o nome mais emblemático e internacional do rock nacional.
Formado em Belo Horizonte (MG) nos anos 1980, o grupo conquistou o público com seu som contundente e violento. Incorporando ritmos brasileiros à sua música e fazendo shows antológicos, vendeu mais de 25 milhões de discos e se converteu em um símbolo do gênero.
Depois de mais de 30 anos de estrada e da saída de seus fundadores, os irmãos Cavalera, o Sepultura continua sua saga pelos palcos, provando que fúria e talento não lhes falta.

Tokyo Idols
Diretor: Kyoko Miyake / 88 min. / 2017
O fenômeno das Idols na cidade de Tóquio, Japão, vem muito crescendo nos últimos anos.
São meninas adolescentes, que cantam e dançam em grupos, ou em carreira solo, que disputam ter o maior fã clube.
Mas para se tornar uma Idol não basta ser bonita e cantar bem. É preciso viver de forma regrada, não envolver-se em escândalos, nem ter um relacionamento enquanto tiver contrato com uma gravadora e estar conectada a internet 24 horas para que seus seguidores possam vê-las em qualquer momento do dia ou da noite. Nada pode estranhar o imaginário de seus fãs. Sem dúvida, um dos filmes mais inquietantes que já exibimos.

Leave a Comment


*